COMPORTAMENTO | Dia do meteorologista

Meteorologista Marilene de Lima fala da profissão e afirma que foi "fisgada pelo estudo da física aplicada a atmosfera”
Neste dia do meteorologista, nós conversamos com Marilene de Lima, que é uma das meteorologistas da Epagri

Neste dia 14 de outubro é o dia do meteorologista e a nossa entrevistada é a Marilene de Lima. Ela é natural do Uruguai e é uma das meteorologistas da Epagri.
Marilene iniciou a graduação em arquitetura, mas se encantou quando descobriu que a meteorologia era a “ciência do futuro.” A partir daí, mudou de curso, fez mestrado na área e concretizou o plano de morar em Florianópolis. “Fui fisgada pelo estudo da física aplicada a atmosfera, pela profissão e as várias formas de transformar o conhecimento, em informações úteis para as pessoas,” explica a profissional.
 
Neste dia do meteorologista, Marline explica que o trabalho, ou a intervenção do profissional, “é fundamental para adequar as tomadas de decisões em ações, desde o cidadão comum até as autoridades, em curto médio e longo prazo.”

Confira a entrevista!

 
Marilene, conte um pouco sobre você.
Sou natural do Uruguai, de Rivera. Fiz faculdade em Pelotas no RS. Comecei fazendo arquitetura mas troquei para o curso de Meteorologia. Continuei encantada pela profissão, então fiz mestrado em meteorologia em São José dos Campos - SP. Desde que fazia a faculdade, em 1992, eu fazia planos para trabalhar em Florianópolis, o que se concretizou em 1997.
 
Ser meteorologista era um sonho de criança? Por que buscou essa profissão?

No tempo que eu era criança os sonhos eram mais limitados. Hoje, as crianças estão mais conectadas mais informadas. Mesmo que elas não procurem, a informação chega até elas e muito cedo elas já sabem das atribuições das profissões e profissionais. Meu sonho de criança era ser arquiteta e entrei na faculdade de Arquitetura e Urbanismo, com esse propósito, mas uma pessoa muito especial que trabalhava no radar meteorológico da UFPel (Universidade Federal de Pelotas), me falava das maravilhas da meteorologia, que era a “ciência do futuro”, que a tecnologia transformava todo o conhecimento teórico da física, em modelos e prognósticos, com um índice de acerto considerável, e que ainda havia toda uma tecnologia envolvida em equipamentos de observação e medição, que desafiavam a imaginação das pessoas! Fui fisgada pelo estudo da física aplicada a atmosfera, pela profissão e as várias formas de transformar o conhecimento, em informações úteis para as pessoas, e que se renovam diariamente.    
 
Desde quando exerce essa atividade?
Me formei em fevereiro de 1994, na época as greves alteravam os calendários. Ddepois cursei a pós graduação e exerço a função de meteorologista desde dezembro de 1997.
 
A meteorologia é uma ciência que contribui para vários aspectos da sociedade. Por que essa profissão é importante? Em que contribui o trabalho de um meteorologista?
Há varias atividades que um meteorologista exerce, desde acompanhamento de projetos que estudam o clima e acompanham as alterações que as variáveis atmosféricas sofrem, como as alterações climáticas, análise e planejamento - com estudo de senários climáticos para o futuro, até o que é mais familiar, que é a previsão de tempo. O trabalho, ou a intervenção do meteorologista, é fundamental para adequar as tomadas de decisões em ações, desde o cidadão comum até as autoridades, em curto médio e longo prazo.


 


Para quem só acompanha a previsão do tempo, é curioso imaginar como o profissional faz as previsões. Você pode nos contar um pouco, sobre os estudos e análises que você realiza para poder dizer se vai dar sol ou se vai chover, por exemplo?
É feito o acompanhamento das condições atmosféricas do dia anterior e do dia, na nossa região, no entorno e na circulação de ventos e deslocamento de massas de ar em várias camadas, da superfície, até níveis mais altos. Assim, pode-se determinar a trajetória ou deslocamento de sistemas atmosféricos da menor à maior escala. Para fazer a previsão para 24 horas e até 14 dias à frente, são usados modelos meteorológicos que simulam matematicamente o comportamento das variáveis: chuva, temperatura, vento, umidade relativa, pressão atmosférica... Assim, pode-se fazer a previsão, mas, com a interpretação do meteorologista que inclui considerações particulares de cada geografia, que nem sempre é captada pelos modelos.
 
Marilene, uma curiosidade: Muita gente, principalmente os mais idosos usam algumas crendices para determinar se vai chover ou não, como por exemplo, uma dor no joelho ou em alguma cicatriz. Existe alguma verdade nisso?
Tem sim. As condições atmosféricas afetam nosso corpo, seja por estar muito seco ou muito úmido, ou muito frio, ou até por variações da pressão atmosférica. A pressão atmosférica é aquela coluna de ar que está acima de nossas cabeças, do ar que nos envolve, e que devido as variações de temperatura, principalmente, fica mais denso ou mais “pesado”. Muitas vezes causando dor de cabeça. O estudo dessas relações do corpo com o tempo, é feito pela biometeorologia.
 
Outra curiosidade, amigos e familiares, te ligam para saber como o tempo vai se comportar?
Em geral ligam para perguntar se eu concordo com a previsão dos colegas, se é isso mesmo. Isso acontece mais quando eles não se conformam com alguma previsão que desagrada...
 
Deixando as curiosidades e brincadeiras de lado, Marilene, nesta quinta-feira (14), é o dia do meteorologista. Você se sente realizada nessa profissão?
Sim, com certeza! É muito bom ter aprendido tanta coisa, mas melhor ainda é saber que ainda tem muita tecnologia para ajudar a melhorar a vida das pessoas, trazer segurança, diminuir prejuízos e perdas.
 
Para quem sonha em ser meteorologista, que conselho você pode deixar?
Estudar! Prestar muita atenção em toda explicação, não tentar se livrar da física, quanto mais trabalho der para entender e aprender, mais sólido será seu conhecimento. Meteorologia séria e responsável, não vai deixar meteorologista rico, mas te garante um olhar curioso, sempre voltado para usar o tempo a nosso favor.
 
Marilene, para encerrar, posso te perguntar como será o tempo no final de semana em Santa Catarina? O tempo será diferente em cada região?
Nos dias 15 e 16 de outubro o tempo terá comportamento de dias mais instáveis em Santa Catarina, com mais nuvens e chuva em boa parte de domingo (16/10). Quem prefere tempo mais firme, vai poder aproveitar a maior parte de sábado que terá aberturas de sol no decorrer do dia.





VEJA TAMBÉM



COMPORTAMENTO  |   26/11/2021 16h52





COMPORTAMENTO  |   24/11/2021 15h30


COMPORTAMENTO  |   18/11/2021 16h02