JUSTIÇA

Acusado de assassinar ex-companheira em salão de beleza sentará no banco dos réus

O juiz Rodrigo Clímaco José, titular da Vara Única de Itá, prolatou sentença de pronúncia que determina julgamento pelo Tribunal do Júri ao homem acusado de tirar a vida da ex-companheira. O crime ocorreu há três meses em Paial, no oeste do Estado. O autor foi preso no mesmo dia do homicídio, já no período noturno, na casa de um familiar no interior do município.

O réu será julgado por homicídio qualificado por motivo torpe, uso de recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio. A sessão ainda não tem data definida para acontecer.

De acordo com a denúncia apresentada, a mulher de 38 anos trabalhava como manicure em um salão de beleza quando o ex-companheiro entrou no estabelecimento e disparou cinco vezes contra a vítima. Ela foi atingida na cabeça, costas e abdômen e morreu no local. A cliente não se feriu. O casal estava junto há mais de 20 anos e o relacionamento havia sido interrompido há cerca de dois meses, o que teria motivado o feminicídio.




VEJA TAMBÉM