JUSTIÇA

Agosto Lilás - Violência contra a mulher - O mês de agosto passou, mas o tema precisa ser debatido

Artigo de Karen Eloiza da Cunha*
O agosto lilás é uma campanha caracterizada pelo enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher, e tem objetivo de reforçar a divulgação da Lei Maria da Penha, conscientizar e comover a sociedade sobre o imprescindível fim da violência contra a mulher, divulgar os serviços especializados da rede de atendimento à mulher em situação de violência e os mecanismos de denúncia existentes, sendo que boa parte do público se cala por medo do agressor ou falta de conhecimento e orientação na hora de realizar a denúncia.
O mês de agosto já passou, mas o tema de violência contra a mulher merece ainda ser debatido, afinal, os índices de denúncias e agressões aumentam cada vez mais, principalmente com a pandemia, que necessita de isolamento social e acaba por influenciar as pessoas a ficarem mais em seus lares e ambientes familiares.
Ao falar sobre o assunto torna-se necessário expor os diversos tipos de violência em que as mulheres estão expostas: a física, a psicológica, a moral, sexual e a patrimonial.

A violência física pode ser compreendida como qualquer conduta que agrida a saúde ou integridade corporal da mulher.
A violência psicológica pode ser considerada qualquer comportamento que cause danos emocionais e que diminuam a autoestima, além de perturbar ou prejudicar o desenvolvimento como um todo da mulher, ou ainda busque controlar ou danificar seus comportamentos, suas decisões, suas ações, e suas crenças.
A violência moral engloba qualquer comportamento que se caracterize como injúria, calúnia ou difamação. 
violência sexual, caracterizada como qualquer comportamento que envergonhe a participar, presenciar ou manter uma relação sexual que não deseje frente a ameaças, intimidações ou uso de força.
A violência patrimonial podendo ser caracterizada por comportamentos que caracterizam subtração, destruição total ou parcial, ou retenção de seus instrumentos de trabalho, bens, objetos, documentos pessoais, direitos, valores ou recursos econômicos, inclusive aqueles que se destinam a agradar suas necessidades.

Um dos mais conhecidos meios de denúncia para quaisquer desses tipos de violência é o Ligue 180, que presta escuta e acolhimento às mulheres em situação de violência. O serviço registra e encaminha denúncias de violência contra a mulher aos órgãos corretos, e também reclamações, sugestões ou elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento. A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. São atendidas todas as pessoas que ligam relatando eventos de violência contra a mulher.
 
*Estudante de Psicologia
@kaaarencunha

Referências:
www.naosecale.ms.gov.br
www.institutomari...-violencia.html

 





VEJA TAMBÉM