ECONOMIA

Para você, dinheiro é problema ou solução? Lidiane ajuda colocar nos trilhos a vida financeira de mulheres endividadas
Como vai sua vida financeira? Lidiane Vendruscolo é especialista em finanças e decidiu ensinar educação financeira para mulheres.

A trajetória dela é interessante. Desde pequena Lidiane Vendrusculo se interessou pelo trabalho com finanças. Hoje ela defende que todas as pessoas deveriam aprender sobre o assunto, ainda nos bancos escolares. Apesar disso, a profissional garante que "não existe idade correta para iniciar a organização das finanças."

Na experiência profissional, Lidiane verificou que muitas situações negativas, causadas pela falta de educação financeira, em sua grande maioria, envolvem mulheres. "Mulheres que não possuem e não sabem o que é um planejamento financeiro, que gastam muito mais do que ganham, endividadas, mulheres que possuem dependência financeira de alguém..."
 
Em entrevista exclusiva ao portal Sou Catarina, Lidiane Vendrusculo analisou que dinheiro e emoção estão fortemente interligados e que quando gastamos, é porque não controlamos nossas emoções. "O que precisamos entender, é que o dinheiro é um meio para fortalecer todas as nossas maiores riquezas," como saúde, família e bem estar.
 
A entrevista com ela é uma aula de educação financeira. Confira!

 



Lidiane, fale sobre você. Qual a sua profissão e com que trabalha?
Me chamo Lidiane Vendruscolo Vieira, tenho 40 anos, casada e mãe de dois príncipes, Bernardo e George.
Filha de pais gaúchos, que saíram de Frederico Westhefalen - RS, em busca de melhores condições de vida para família e vieram para Mato Grosso do Sul, onde nasci na cidade de Coxim- MS.
Desde pequena sempre fui muito determinada e sempre soube o que gostaria de fazer quando me tornasse adulta.
Quando tinha 10 anos, possuía fascínio por computação, que na época era novidade, e outro sonho era trabalhar em um banco, pois me encantava ir as agências e ver aquelas moças lindas, maquiadas, nos computadores atendendo as pessoas. E foi isso que eu conquistei alguns anos depois. Me formei em Ciência da Computação - UNIDERP/MS, e fui selecionada entre 240 candidatos para a vaga em uma instituição financeira.
Durante os dois primeiros anos de formada, iniciei como professora da UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campos de Coxim, no curso de Sistema de Informação.
Passei a ter uma jornada tripla, pois além de trabalhar na instituição financeira durante o dia, dar aulas a noite, decidi que iria empreender também, e abri uma loja de roupas.
Foram dois anos intensos, de muito trabalho, dedicação e renúncias. Mas foram anos de muito crescimento pessoal e profissional. Nesses anos aprendi a investir e nunca mais parei.
Passados esses dois primeiros anos, decidi que iria me dedicar exclusivamente para a minha carreira bancária, pois realmente era o que eu gostava de fazer. O mercado financeiro fez bater mais forte meu coração, e durante 17 anos fui galgando espaços, muitas promoções aconteceram, até que me tornei gerente de agência, o qual trabalhei nos últimos 10 anos.
Chega um momento na vida que as prioridades começam a mudar, talvez por amadurecimento ou autoconhecimento.
Comecei a sentir que precisava dar mais atenção a minha família, entender que meu tempo era limitado e por isso precioso, entendi que com meu conhecimento poderia ajudar de outras formas muitas pessoas, conciliando as minhas novas prioridades.
A cerca de um ano, me desliguei da instituição financeira onde trabalhava e sou imensamente grata por tudo o que vivi e aprendi nela.
Hoje sou CEO da empresa LV Comportamento e Finanças, uma empresa de educação financeira, especialmente voltada para mulheres onde nosso foco é Consultoria e Cursos de finanças pessoais e empresariais. Instagram @lidianevendruscolo.financas
 
O que te motivou a escolher e seguir nessa área financeira?
Durante esses 17 anos de mercado financeiro, pude vivenciar muitas situações negativas, causadas pela falta de educação financeira.
E muitas dessas situações, na verdade a grande maioria, por mulheres.
Mulheres que não possuem e não sabem o que é um planejamento financeiro, que gastam muito mais do que ganham, endividadas, mulheres que possuem dependência financeira de alguém (companheiro(a)), e por isso se sujeitam a maus tratos por abusos físicos e psicológicos, mulheres que passam por violência patrimonial (a violência patrimonial é entendida como qualquer conduta que configure retenção, subtração, destruição parcial ou total de seus objetos, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores e direitos ou recursos econômicos) para mantê-la sobre sua autonomia.
Situações em que as mulheres delegam totalmente o controle da sua vida financeira para o companheiro (a), (não que eles não possam ajudar e orientar, se souberem mais sobre o assunto, mas é importante saber analisar seu extrato bancário, quais são suas dívidas, quanto possui nos seus investimentos, quais são os objetivos futuros, qual o valor do seu patrimônio etc).
Mulheres com grande patrimônio que se viram viúvas e totalmente perdidas em como conduzir a vida daquele momento em diante.
Enfim, são inúmeros os casos que acontecem, em algum momento da vida, não saber nada sobre sua vida financeira pode te prejudicar de alguma forma. A vida é incerta e cheias de altos e baixos. Falo por experiência de tantos casos que pude vivenciar.
Aprender não ocupa lugar, pelo contrário, te leva a abrir a mente e se sentir cada vez mais independente e confiante, e não estou falando apenas de independência financeira, estou falando de independência emocional também.
 
Por que devemos ter educação financeira? Por que isso é importante?
Nós temos várias riquezas que fazem uma vida equilibrada e feliz, por exemplo:  família, vida espiritual, saúde, conhecimento, etc.
Nossas riquezas são o que é inegociável para nós, tudo o que é mais importante na nossa minha vida.
Sabendo disso, peço para vocês fazerem uma reflexão comigo:
Quando eu tenho uma vida financeira saudável, eu possuo um planejamento de ganhos e gastos, tenho um plano de investimento para atingir meus sonhos (objetivos de curto/médio/longo prazo), sei que poderei diminuir o ritmo de trabalho na velhice e poderei manter meu padrão de vida inalterado, de acordo com o patrimônio financeiro que eu acumulei durante os anos em que eu tinha minha capacidade produtiva mais elevada, sei que poderei dar uma vida confortável para os meus filhos, entre tantos outros exemplos.
O que precisamos entender, é que o dinheiro é um meio para fortalecer todas as nossas maiores riquezas.
E você só consegue isso, através de Educação Financeira.
 


Adultos, que já possuem a vida encaminhada, com trabalho, filhos e família, podem começar do zero e reordenar a vida financeira?
Não existe idade correta para iniciar a organização das finanças, o ideal é que aprendêssemos isso na escola, hoje em algumas escolas Educação Financeira, já faz parte da grade curricular, mas ainda está longe desse conhecimento ser difundido para todos os nossos alunos.
O que eu digo é que não só podem como devem iniciar o processo de organização financeira.
 
Qual o primeiro passo para ter uma vida financeira saudável?
Acredito que para uma pessoa ter uma vida financeira saudável, é necessário que se invista em educação financeira, busque conhecimento para aplicar no seu dia a dia e tenha um planejamento financeiro adequado com seus objetivos de vida.
Além disso, outra coisa muito importante e não posso deixar de falar, é sobre disciplina e foco.
Construir uma vida financeiramente equilibrada, principalmente para quem está desorganizado, pode levar alguns meses, e é aqui, que eu percebo que muitas pessoas param no meio do caminho.
Dinheiro é emocional.  Gastamos geralmente porque não controlamos nossas emoções. Ou gastamos porque estamos tristes e cansados ou porque estamos felizes e radiantes. Entender o motivo porque somos levados a gastar inconscientemente é a chave para a disciplina na organização das finanças.
Leva um certo tempo para que um novo hábito seja enraizado em nossa mente, sabendo disso, temos que redobrar nossa atenção mantermos o nosso objetivo.
 
Lidiane e quais são os benefícios de ter o controle financeiro?
Vou elencar alguns benefícios que acho muito importantes:
- Você saberá qual o real alcance da sua renda;
- Evitará assumir dívidas que não poderá pagar;
- Você conseguirá evitar e cortar desperdícios;
- Você conseguirá criar um plano de investimento atrelado aos seus objetivos (aposentadoria, aquisição de bens);
- É o primeiro passo para construir um patrimônio;
- Poderá gastar sem culpa;
- Fará compras de forma mais consciente;
-  Sua família saberá quais são as prioridades e será mais fácil dizer não;
- Terá ótimas noites de sono;
São muitos os benefícios de ter controle das suas finanças.
 



Para quem está lendo essa entrevista - e quem sabe esteja com dificuldade financeiras - que dicas você pode deixar?
Quero dizer que você é totalmente capaz de mudar sua situação.
E que a virada de chave para a mudança vem de você.
Que você não precisa ter vergonha do que está passando e pode procurar ajuda.
Muitas vezes é necessário auxílio profissional para que você tenha clareza do que precisa fazer e em qual direção seguir.
E para quem acha que fazer um planejamento financeiro é muito difícil, que não gosta de planilhas, que não tem tempo para isso. Quero te dizer que tudo é ponto de vista. Que todo resultado vem de uma atitude + uma ação.
E quero terminar deixando uma pergunta para você como reflexão: Daqui a cinco anos, como você quer estar financeiramente?
 
 
Fotos: Arquivo pessoal


Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp




VEJA TAMBÉM



ECONOMIA  |   10/11/2021 11h36





ECONOMIA  |   03/07/2021 10h25


ECONOMIA  |   22/06/2021 20h06