POLÍTICA

Projeto da Deputada Ada De Luca cria Política de assistência aos 'órfãos do feminicídio'

Dentre os pontos da proposta, crianças e adolescentes filhos de vítimas do crime terão prioridade em serviços como matrícula escolar, assistência à saúde e psicossocial

Um projeto de lei da Deputada Estadual Ada De Luca (MDB) pretende oferecer atendimento prioritário de serviços públicos para crianças e adolescentes que perderam mães ou responsáveis por conta de crimes de feminicídio, quando a mulher é morta pela condição de gênero.

A Política Estadual de Proteção e Atenção Integral aos Orfãos e Orfãs do Feminicídio foi protocolada na Assembleia Legislativa nesta semana e prevê atenção multissetorial as crianças e adolescentes que, dentre outros pontos, terão prioridade de matrícula em escola mais próxima ao domicílio e garantia a atendimento médico, em especial ao atendimento psicossocial e psicoterapêutico.

O projeto de lei também prevê que os órfãos de vítimas de feminicídio tenham oferta prioritária de assistência jurídica, e auxílio nas requisições de pedidos encaminhados ao INSS para assegurar a concessão de benefícios.

Autora da proposta, a Deputada Ada Faraco De Luca (MDB) diz que "as crianças são vítimas invisíveis da tragédia que é o feminicídio".
"Não há um levantamento do impacto dessa violência na vida destas crianças e adolescentes que, muitas vezes, são testemunhas dos crimes. Precisamos enfrentar essa realidade fortalecendo a rede de apoio, amenizando um pouco a dor da perda e os traumas que impactam estes órfãos pelo resto da vida", afirmou.

Violência contra a Mulher
Segundo dados do Observatório da Violência Contra a Mulher - OVM/SC, no ano de 2021, Santa Catarina registrou 55 crimes de feminicídio. Somente entre janeiro e março de 2022, 4.426 mulheres foram vítimas de lesão corporal e 15 mulheres foram vítimas de feminicídio em nosso estado.

A rede de proteção está preparada para atender as vítimas de Violência Doméstica através do Disk Denúncia 181, a Polícia Civil de Santa Catarina ambém disponibilizou um serviço de denúncias pelo Whatsapp 48 98844-0011. Em caso de emergência policial, a orientação é ligar para o 190.


Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp




VEJA TAMBÉM



POLÍTICA  |   16/05/2022 11h30





POLÍTICA  |   14/05/2022 08h56


POLÍTICA  |   06/05/2022 22h06