ECONOMIA | Entrevista

Ela garante que mesmo sem um rendimento significativo, deve-se poupar. Mas e você, ensina educação financeira para o seu filho?


Catiane Fuzinatto gerente da Agência da Cresol de Jardinópolis,dá dicas

Se é de pequeno que se aprende é assim que a Cresol quer formar os poupadores e investidores do futuro. Pensar na educação financeira infantil deve fazer parte da rotina dos pais e educadores, para que se forme uma consciência do ganho e uso do dinheiro. No dia 31 de outubro, foi comemorado o Dia Mundial da Poupança e uma das dicas que a gerente da Agência da Cresol de Jardinópolis, Catiane Fuzinatto repassa, é a importância dos pais darem cofrinhos para os filhos. Confira esta e outras dicas.
 
O que é educação financeira?
Educação financeira é quando você tem consciência do seu dinheiro e conhecimento sobre o que fazer com ele. Fazer com que suas receitas sempre sejam superiores as suas despesas mensais, mas muito além de apenas economizar dinheiro, consiste em práticas e hábitos que tem objetivo de trazer qualidade de vida, construindo um planejamento financeiro que busca o seu próprio bem estar e utilizar do seu dinheiro para realizar seus sonhos e objetivos.
 
Na prática, como podemos aplicar a educação financeira dentro de casa, junto com nossas famílias?
Fazendo gestão mensal, através de planilhas com despesas fixas e variáveis, criar hábito de ter economias, envolver todas as pessoas da família, onde os pais devem começar o envolvimento das crianças desde pequenos neste processo que se torna uma cultura. Os pais devem dar cofrinhos para seus filhos e mesada, explicando a importância de poupar e se planejar. Levar filhos juntos as compras e instigar a fazer pesquisa de preços dos produtos antes de adquirir.
 
A Cresol realiza um projeto especial de educação financeira, destinado especialmente aos estudantes. Que trabalho é esse?
Desenvolvemos com as turmas do quinto ano da rede municipal de ensino um projeto chamado 'Um olhar para o futuro'. O mesmo aborda vários temas dentre os principais: educação financeira, sustentabilidade, cooperação, agricultura familiar, cooperativismo.
 
Neste programa, que orientações são repassadas para os estudantes?
No decorrer do projeto desenvolvemos cinco aulas, todas com temas diferentes e conforme o tema do livro abordamos e aprofundamos o assunto, mas as orientações de modo geral. É para as crianças colocar em prática o que é trabalhado neste período, instigando-os a refletir os temas e envolver a família no processo.
 
Existem números sobre a quantidade de estudantes que já foram impactados com essas ações?
Em toda a Cresol Oeste Catarinense, o Projeto já é tradicional. Somente no ano de 2021, quase 300 crianças de sete municípios foram beneficiadas. Estamos executando este trabalho em parceria com a escola Municipal Castro Alves no município de Jardinópolis há cinco anos, onde neste período o projeto abrangeu aproximadamente 160 crianças.
 
Mesmo com as dificuldades provocadas pela pandemia, está sendo possível seguir com esse programa?
Sim, está sendo possível seguir com o projeto, porém possui certas limitações e obstáculos no desenvolvimento de atividade lúdicas com as crianças, pelo motivo do distanciamento entre elas. Porém a cooperativa tomou todas as medidas preventivas, distribuindo álcool em gel e mascarás individuais para cada aluno e estamos conseguindo desenvolver o mesmo com sucesso.
 
Você acredita que instruir crianças sobre a educação financeira é um bom caminho para termos uma sociedade consciente sobre o uso do dinheiro?
Sim, acredito que as crianças quando começam desde pequenos a administrar o dinheiro e ter os primeiros contatos, se tornam adultos mais conscientes financeiramente e buscam um conhecimento mais aprofundado no tema de finanças. Acompanham mais a economia e o mercado financeiro, podendo assim investir mais assertivamente suas economias. Sendo que alguns países já possuem a Educação Financeira como grade curricular, para ajudar no desenvolvimento das crianças no assunto. Hoje, o Brasil é um dos países com a população mais endividada e isso, acredito ser um reflexo da falta de conhecimento no tema educação financeira.
 
No último dia 31 de outubro foi o Dia da Poupança. Além de gastar o dinheiro com  inteligência, é importante poupar? Por que devemos ensinar esse hábito para as crianças?
É muito importante poupar. Deve-se ensinar este hábito, pois vai se tornar uma cultura, um processo natural para ela, além de gerar responsabilidades para a criança de cuidar desse dinheiro, isso possibilita que cresçam com comportamentos financeiros mais saudáveis poupam parte do dinheiro que ganham para realizarem seus sonhos.
 
Mesmo quem não tem um rendimento significativo, pode poupar? É possível fazer esse "milagre"?          Mesmo sem rendimento significativo, deve-se poupar. Quando a pessoa possui uma organização e uma educação financeira, consegue guardar dinheiro com mais facilidade do que as pessoas que possuem rendas elevadas e não fazem gestão de seu dinheiro. Ter reservas, é uma necessidade para os imprevistos, evitando assim o endividamento das pessoas. Quando você poupa um valor mensal, com um prazo maior, consegue acumular valores significativos e investir em produtos de investimentos que gere uma rentabilidade maior.
 
Para quem não teve a oportunidade de receber instruções de um programa de educação financeira, como esse oferecido pela Cresol, que dicas você pode deixar? Existem dicas para quem está perdido nas finanças pessoais e para quem deseja poupar?
Sim existe várias dicas:
- Entender a importância do controle financeiro: saber qual é a renda familiar, quais são as despesas que a família possui fixas todo o mês, e as variáveis que são as esporádicas. Faça planilha de gestão do seu dinheiro, muitas pessoas somente sabem quanto gasta com as despesas mais elevadas, porém os pequenos gastos são considerados os mais desnecessários que consomem o dinheiro com facilidade, quando você começa rastrear seu dinheiro vai identificar onde e pode começar a economizar e reduzir despesas.
- Saber diferença de desejo e necessidade: Quando vai efetuar uma compra as vezes mexe muito com a parte emocional do ser humano então sempre é necessário pensar se o bem/ produto que está adquirindo é um desejo seu ou é uma necessidade, se possui clareza disto vai evitar muitos gastos desnecessários.
- Aprender a poupar ou investir: Insira na planilha mensal uma porcentagem da renda para poupar pode começar com 10% da sua renda e no decorrer do tempo ir aumentando gradativamente.
- Evitar dívidas: Busque não comprometer mais que 30% de seu salário com empréstimos, e antes de contratar analisar se realmente é necessário o credito e optar pelo que paga menor taxa de juro. Quando efetuar comprar parceladas evite de fazer parcelas a longo prazo se possuir condições de pagamento em prazos menores.
- Ter planejamento financeiro: quando faz o planejamento evita de lidar com imprevistos, pois quando quer adquiri um bem ou fazer uma viajem já consegue se planejar com antecedência.
- Solicite descontos e pesquise preços: Quando fazer aquisições sempre pesquise preços antes de adquirir para evitar de pagar valores mais elevados, e quando for adquirir o bem com pagamento avista solicite desconto.
- Apreender a investir bem: Buscar conhecimento do mercado financeiro para investir seu dinheiro conforme seu perfil pois o mercado possui inúmeras formas de investimentos e remunerações do dinheiro, algumas com maior risco outros com menor risco, porém é necessário conhecer antes de investir seu dinheiro.


Galeria de Fotos:



Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp




VEJA TAMBÉM






ECONOMIA  |   03/07/2021 10h25


ECONOMIA  |   22/06/2021 20h06